Loja 1: Av. Fabio Zahran, 7279 - Jardim América - Campo Grande / MS

(67) 3382-0002


Loja 2: Av. Interlagos, 3388 - Vila Albuquerque - Campo Grande / MS

(67) 3201-7650

ampliar
A Ducati SuperSport S aposta em uma receita um pouco fora de moda atualmente: o segmento sport-touring. Com carenagem integral e design de uma esportiva, o novo modelo oferece bom desempenho com seu motor de dois cilindros, 937 cc e 113 cv, mas sem abrir mão do conforto proporcionado por dois semiguidões elevados e uma ergonomia mais relaxada do que nas motos feitas para as pistas. 
 
De longe a SuperSport S até parece uma superesportiva puro-sangue, carenada, com suspensão invertida e rodas de liga-leve que lembram a da Panigale, a verdadeira moto de pista da Ducati. Mas ao montar no modelo, as pedaleiras não são tão recuadas e o guidão elevado permite assumir uma posição ereta revelando seu lado “touring”, estradeiro.
 
Outros atributos reforçam a vocação para viagens da SuperSport. O parabrisa oferece um sistema de ajuste rápido: basta puxá-lo com as mãos para subir alguns centímetros. O sistema quick-shift, de série na versão “S”, vendida no Brasil, também proporciona mais conforto. Afinal, não é preciso usar a embreagem para subir ou reduzir as marchas no câmbio de seis velocidades. 
 
Motor e eletrônica
 
Ao acelerar o motor de dois cilindros em “L”, 937 cm³ e refrigeração líquida, as respostas são instantâneas com bom torque desde os baixos giros – uma característica dos motores de dois cilindros em “V” a 90° (o tal “L” da Ducati). Mas chama a atenção a alimentação sem engasgos e a entrega de potência progressiva desse motor. Chamado de Testastretta 11°, é um dos melhores motores da Ducati atualmente e equipa também a Multistrada 950. 
 
A entrega de potência pode ser regulada por meio dos modos de pilotagem. Há três opções: Sport, Touring e Urban. Nos modos Sport e Touring, os 113 cv de potência máxima estão disponíveis, mas as respostas são mais ariscas no modo Sport, e mais suaves, no modo Touring. Já o Urban, limita a potência a 90 cv e deixa a SuperSport S “calminha” para rodar na cidade como uma pacata moto urbana. 
 
O grande diferencial dos modos de pilotagem da Ducati é que eles também alteram os parâmetros do controle de tração e dos freios ABS, simplificando o uso do avançado pacote eletrônico. Ainda é possível personalizar cada um dos modos de pilotagem.
 
Ciclística esportiva
 
Apesar da posição de pilotagem confortável, a SuperSport na versão “S”, que é vendida aqui, ainda conta com suspensões dignas de motos esportivas, como garfo invertido, na dianteira, e um monobraço de alumínio com um amortecedor fixado por links, na traseira. Ambos são da grife Öhlins e totalmente ajustáveis.
 
Os freios usam pinças monobloco e radiais Brembo, na frente, para morder dois discos de 320 mm de diâmetro. Atrás, um disco de 245 mm com pinça dupla com o ABS Bosch 9MP com três níveis de atuação. As rodas de liga-leve aro 17 calçam pneus sem câmara Pirelli Diablo Rosso III, nas medidas 120/70-17 (diant.) e 180/55-17 (tras.).
 
Com apenas 183 kg a seco, a SuperSport S contorna curvas quase como uma esportiva de pista da Ducati. Oferece segurança no trem dianteiro e mantém a roda traseira grudada no chão nas acelerações. Basta escolher a trajetória e confiar no bom conjunto ciclístico da moto italiana para fazer curvas esportivamente. 
 
E seus 210 kg em ordem de marcha em conjunto com o assento a 81 cm do solo, também faz da SuperSport S uma moto fácil de pilotar, até em baixa velocidade. 
 
Conclusão
 
Mostrada no Salão Duas Rodas 2017, a Ducati SuperSport S é vendida apenas na cor vermelha pelo preço sugerido de R$ 63.900. O preço é elevado se comparado às concorrentes, como a Suzuki GSX-S 1000 F (R$ 49.676) ou a Kawasaki Ninja 1000 (R$ 47.626). 
 
Mas, por outro lado, a sport-touring italiana oferece design e acabamento mais refinado, além de modernos controles eletrônicos. Sem falar que seu peso menor e seu conjunto ciclístico topo de linha conferem ao modelo agilidade na cidade e precisão nas curvas. Uma boa opção para quem procura uma moto com visual e tecnologia de uma esportiva, sem abrir mão do conforto e versatilidade para usar no dia-a-dia ou em viagens.
 
Ficha Técnica - Ducati Supersport S
 
Motor Bicilíndrico em “L”, arrefecimento líquido, 8 válvulas, sistema desmodrômico de válvulas
Capacidade cúbica 937 cm³
Potência máxima (declarada) 113 cv a 9.000 rpm
Torque máximo (declarado) 9,86 kgf.m a 6.500 rpm
Câmbio Seis marchas
Transmissão final corrente
Alimentação Injeção eletrônica
Partida Elétrica
Quadro Tubular em aço treliçado
Suspensão dianteira Garfo invertido Öhlins com 48 mm de diâmetro e 130 mm de curso totalmente ajustável 
Suspensão traseira Monobraço de alumínio com amortecedor Öhlins com 144 mm de curso, totalmente ajustável 
Freio dianteiro Disco duplo de 320 mm de diâmetro com pinças monobloco radiais Brembo M 4.32 de quatro pistões (ABS)
Freio traseiro Disco simples de 245 mm de diâmetro com pinça de dois pistões (ABS)
Pneus 120/70-ZR17 (diant.)/ 180/55-17 (tras.)
Comprimento x Largura x Altura Não disponíveis
Distância entre-eixos 1.478 mm
Distância do solo Não Disponível
Altura do assento 810 mm
Peso em ordem de marcha 210 kg
Peso a seco 183 kg
Tanque de combustível 16 litros
Cor Vermelha
Preço praticado R$ 63.900

 

 

Mais fotos

Clique na foto para ampliar